quinta-feira, 24 de maio de 2007

How beautiful could a being be!

É que nem o escaravelho escapa ao «dá-cá-misso» da Pokonhé e afins manitos!
Também, não é para menos: o dito namora-me os vasos há duas semanas e não quer de cá sair.
Hoje choveu a bidões (achei que, para a quantidade de água, dizer «potes» não era exemplificativo)!
Fui logo tirar da chuva o vaso onde tinha posto o Reinaldo (sim, também baptizo escaravelhos, alguma objecção?!?) de manhã.
Aflita, depois, procurei por ele e a surpresa foi grande: tinha-se enterrado para se abrigar da chuva e do desconforto da terra molhada!
Depois do toró ter cessado, coloquei o vasito ao sol e...

... ei-lo! O Reinaldo é a coisa que reluz! Fantástico, não é? Brilho e coloração natural!

Eu sei que a foto está desfocada, mas não resisti: comparem o tamanhinho do Reinaldo perto da minha mão!

Depois de ter experimentado as Florilólélas, não queria outra coisa, o maroto!

Tive que o obrigar a sair e a regressar aos vasos, até porque, a Pokonhé com tantos «coitadinho, Mãe!», insistia em ir buscar um biberão para lhe dar leite «puque ele tá canxado e tem fóminha!»...

Apresentadas pelo Reinaldo, em primeira mão, eis as Florilólélas.

Sequiosa por dias de Sol-a-sério, a Bago de Sol não se fez rogada e surgiu. Mas, como ainda se sente frio e chuva no ar, ela adormeceu. Quis ficar destapada, para não cair num sono profundo: contou-me que anseia por se mostrar a todos no seu esplendor e brilho máximos logo que o pai Sol se mostre mais complacente.


(Chiuuu! Vamos deixá-la dormir um pouco mais.)

Até breve!

4 comentários:

miquinhas disse...

Olá Isabel (não dá para notar mas estou a falar muito baixinho, não queremos acordar a Bago de Sol. Se ela já é assim graciosa a dormir, imagina quando acordar, todo o universo vai resplandecer com a luz do seu olhar).
Devo dizer-te, Doce Isabel, que as tuas Florilólélas só vieram dar mais beleza à Primavera. Só eu ainda não descobri essas sementes raras para plantá-las no meu jardim. Acho que é do clima, por aqui só se dão Crochilólélas.
Como te entendo, os croquetes de figo são algo inesquecível, mas espera para experimentares as bolachas de alfarroba, ó larila, isso é que é, faz as moçoilas andar num corridinho, de perninha alçada e tudo.
Beijinhos

Várias Paixões disse...

Ohhhhhhh que linda a Bago de Sol já a tinha conecido pessoalmente mas continuo "fãzérrirrma" do teu "Gomo de Nuvem" e do seu creiro fabulástico a Alfazema...hummmmmmm!!
Bêjos..
Saudavelmente louca Ana

Titarte disse...

Oi, Isabel sou eu a tua vizinha Marta. Tb tens trabalhos muito giros e um filhote muito prendado.
Bjks grandese encontramo-nos na Feira de Vila Franca.
Marta Vizinha de Alhandra.

Wayfarer disse...

Carlotas, Reinaldos... Não encontrarás seres com mais patas nos teus vasos, se encontrares não hesites... :P
Já conhecia as Florilolelas e as Bagos e parece-me que os vou voltar a ver de muito perto (mas nesse dia, dexia a D. Carlota e o Reinaldo em casa por favor!)... leitinho a escaravelhos reluzentes... já lá vai o tempo em que a tigela de leite era o presente para gatinhos vadios e ramelosos... artrópodes... pffee... :p

mas vamos lá ao que interessa... Terei eu ouvido falar em bolachas de alfarroba??? conheço o bolo (e faço-o :P) e os biscoitos do celeiro (biológicos, Isabel!!) mas as bolachas são novas... há receita???

precisava de um Gominho alfazemado para me dar calma para o resto dos artigos e introduções teóricas.... Acho que me vou agarrar à Bolinho de Arroz, já que dizem que a canela ajuda na concentração...

beijinhoooo
saudades, saudades, saudades :)