sábado, 3 de fevereiro de 2007

Vão-se os Pi-pius, ficam os passaricos e os passarocos!

E não é que os Pi-pius teimam em aparecer-me por entre os vasos que tenho na varanda?

Felizmente deixam-se apanhar bem à mão, de mansinhos que são...


Este, depois de deixar-se apanhar, voou para a Lurdes.


A Carla Félix fez deste Pi-piu um amigo do peito de eleição!


Os Passaricos, mais friorentos, nascem por entre os cobertores e edredóns...

Estes estão cá, mas a Teresa e a Carla - da Sala Laranja - têm uns parecidos...

Eu cá já os vi nascer! Demoram cerca de cinco horas a despassaricar...


Os Passarocos gostam mesmo do choco! São mais bazarocos do que parecem e também já voam alguns por aí...


Por entre laços de lã e feltro, vão cantando e espalhando alegria.
Têm mais pressa de cantar e, por isso, nascem em quatro horas!

Com o frio que vai fazendo, uns vão nascendo pelo meu "jardim" envasado, outros vão saindo do ovo da imaginação, ao sabor das horas que há em cada dia que, ao contrário do que por aí se diz, nem sempre duram vinte e quatro horas...

Quem quiser um Pi-piu, um Passarico ou um Passaroco não tem de preocupar-se com a gripe das aves. Isso é coisa de aves comuns.

Estas são especiais: verdadeiras aves raras...
Até breve.

1 comentário:

miquinhas disse...

Ó Isabel
Tenho que comprar uns vasos cá para casa, a ver se esses passarocos também cá vêm pousar.
Que sortuda. Ter um jardim assim frequentado é um privilégio.
Adorei os trabalhos. Esses bichinhos estão lindos.